O que são e como definir Stops para investir?

Definir stops tem como objetivo limitar perdas ou quantificar seus ganhos em uma operação em andamento, sendo peça fundamental da sua estratégia, podendo prejudicá-la ou melhorá-la. Utilizá-los corretamente pode maximizar ganhos e limitar perdas, traz conforto e consistência às suas estratégias, independentemente se forem manuais ou executadas por robôs investidores. Portanto, stops devem ser usados para que o investidor seja barrado antes de realizar trades muito prejudiciais. 

Quer entender como definir stops e como colocá-lo corretamente em seu setup? Acompanhe o post:

integração com robôs

Definir stops: um exemplo prático

Para facilitar, vamos entender o conceito em um exemplo prático: comprei Petrobras por R$ 55,00 há alguns anos, mas considerei que se ela caísse abaixo de R$ 50,00 sua tendência seria de queda. Portanto, utilizei um stop como uma limitação para minha perda, aceitando perder até um determinado valor.

No caso real acima, eu sabia que era possível que a PETR4 caísse abaixo dos R$ 50,00 me gerando um stop e depois subisse acima dos R$ 55,00 tornando minha operação lucrativa caso eu não tivesse um stop cadastrado. Mesmo assim, resolvi usar stop e, nesse caso, me dei bem.

Qual é a diferença entre Stop de Perda e Stop de Ganho?

A diferença entre stop de perda (stop loss) e stop de ganho (stop gain) está em seus objetivos pois ambos são ordens de limitação. Podemos resumir o funcionamento dos stops de ganho e os de perda com a descrição abaixo:

Stop Móvel: quando usá-lo?

Além dos stops descritos acima, também existe o stop móvel (trailing stop) que gera eliminações com lucro ou prejuízo.

O stop móvel funciona com uma ativação (início) e uma distância (recuo).

  • Ativação: valor absoluto ou percentual que a posição deve estar ganhando para dar início ao stop móvel de ganho. A partir deste momento o stop móvel é ativado.
  • Distância: valor absoluto ou percentual que o preço deve cair (para posições compradas) ou subir (para posições vendidas) em relação ao seu maior valor (para posições compradas) ou menor valor (para posições vendidas) para que a posição seja encerrada. Se estiver em uma posição comprada, o stop irá se mover para cima quando o preço aumentar, mas não para baixo quando o preço diminuir. Se estiver em uma posição vendida, o stop irá se mover para baixo quando o preço diminuir, mas não para cima quando o preço aumentar.

Em resumo, quando determinada operação atinge o valor de início, caso a operação fique desfavorável e volte ao valor da distância, aquela posição será stopada mantendo uma operação positiva.

Vamos a um exemplo? Estou comprado no Índice Futuro, minha atual posição de carteira é de 200 pontos de ganho. A partir deste valor eu não aceito perder mais que 100 pontos. Logo, defino um valor de ativação de 200 pontos e de distância de 100 pontos. Portanto, se o índice, me der 200 e depois recuar 100, serei stopado no ganho com 100 pontos positivos. O mesmo se aplica caso os preços subam 500 pontos sem recuarem o valor da minha distância, só serei stopado após o recuo, podendo ser ele em qualquer momento após o seu início/ativação.

Vale lembrar que o stop móvel só funciona caso a distância até o valor de ativação seja atingida, sendo necessário o uso dele conjuntamente com um stop loss (ou outro mecanismo de gestão de risco) para evitar grandes perdas. 

Stop gain fixo ou stop móvel: qual é o melhor?

O stop móvel poderá trazer mais rentabilidade a sua estratégia. Acreditando em grandes movimentos, alguns investidores optam por limitar o quanto “devolver” após ganhar. Com o stop fixo de ganho, o investidor deixa de arriscar uma rentabilidade a mais e passa a se contentar com os valores definidos por ele mesmo.

Existem diversas situações onde o stop fixo poderá ser a melhor opção, assim como existem também diversas situações onde o stop móvel será a saída ideal. Podemos resumir o uso assim:

  • stop gain fixo: quando se busca um determinado valor a cada posicionamento, isto é, quando se espera ganhar em movimentos de tamanhos definidos na variação do ativo.
  • stop móvel: quando espera-se acompanhar uma tendência no preço do ativo, ficando posicionado enquanto os preços seguem um sentido definido e não façam correções maiores que o valor de distância cadastrado

Quais são valores para definir stops ideais?

Esta é uma dúvida comum a todos que estão construindo e testando estratégias de investimento. Entre as possibilidades de usar um ou mais stops em conjunto e os diferentes valores para cada stop ,existem infinitas possibilidades para cada estratégia de investimento, ativo e tempo gráfico. Qual é a melhor? A resposta pode não agradar, mas ela é: depende.

O melhor stop – ou os melhores – dependem dos objetivos da estratégia, do perfil de risco do investidor e do comportamento do ativo. Mas, tendo em vista o objetivo do stop, não é tão difícil assim encontrar valores ideais.

Para começar projete, em um período passado, os diferentes posicionamentos de sua estratégia no gráfico, considerando os indicadores acompanhados e ignorando as saídas. Use as ferramentas que tem disponível: sua plataforma gráfica, Excel, Home Broker ou sua conta SmarttBot.

Tendo seus posicionamentos visíveis você deverá identificar dois valores para cada um deles:

  • Qual é o stop loss ideal?

O stop loss, ou stop de perda, ideal dependerá da sua estratégia. Para defini-lo, o trader deve analisar as entradas apontadas pelo(s) indicador(es) para obter uma média entre a distância da sua entrada até a distância máxima a qual a estratégia levaria um possível stop. Com base nisso, você poderá obter uma média de possíveis stops, o mesmo poderá ser feito em seus alvos, que é o seu objetivo, o ganho que quer ter.

O investidor também pode realizar backtestings, analisando as perdas máximas e reversões.

  • Qual é o stop gain ideal?

O stop gain ideal também irá variar conforme a estratégia. Algumas estratégias são pensadas para ganhos curtos, os chamados scalpers, enquanto outras para ganhos longos operando durante a tendência. Como não é todo dia que o mercado possuí uma longa tendência, é interessante não exagerar nos alvos. Para encontrar um alvo satisfatório, analise as entradas do seu setup e até onde ele poderia chegar, com base nisso obtenha uma média de alvo. Obtendo uma média de alvo você poderá obter bons resultados na sua estratégia. Mas jamais chute um alvo. Sempre analise no gráfico se na maioria das ocasiões aquele alvo poderia ser “boletado”.

Stops no uso de robôs investidores

Definir stops é muito comum entre traders que utilizam robôs. Determinadas estratégias tem seus alvos curtos, logo os investidores optam por opções de stop gain para proteger o seu ganho e diminuírem sua exposição a novos riscos e até mesmo evitar “devolver” aquilo que estava ganhando.

Confira situações nas quais o stop é a solução para garantir bons resultados ao robô (os valores numéricos são apenas ilustrativos):

  • Você possui um robô que alcança 100 pontos de lucro em quase todas as suas entradas, mas após chegar em 120 pontos ele começa a devolver os ganhos e sua posição fica negativa.
  • Se o robô perder mais de 100 pontos, poderá perder até 1 mil.
  • O seu robô acertou um trade, mas saiu com apenas 100 pontos. Após a sua saída, o índice subiu mais de 1.500 pontos.

Por fim, tenha em mente que os stops são baseados em objetivos e devem estar alinhados à estratégia. Outro cuidado que o investidor deve ter é aprender a definir seus próprios stops para não ser de vítima de aconselhamentos genéricos que podem não ter a ver com seu perfil investidor, o ativo em que opera e o objetivo do seu setup.

Co-founder & BizDev da SmarttBot. Apaixonado por investimentos, opera na bolsa desde 2007. Acredita no empreendedorismo e na tecnologia como forma de mudar o mundo. Fã de tudo que é "meio nerd".