Como escolher o robô investidor ideal para o seu perfil

Não é raro nos depararmos com artigos, matérias e palestras discutindo qual é o tipo de investimento adequado para cada perfil de investidor.

Em geral, esses estudos passam pelas principais opções de investimento, desde as conservadoras até as mais agressivas, como poupança, tesouro direto, CDB, RDB, LCI, LCA, debêntures, ações, entre outros.

Aliás, atendendo à regulamentação 539 da CVM – Comissão de Valores Mobiliários, autarquia que regulamenta e fiscaliza as atividades do mercado de valores no Brasil – a aplicação da Análise de Perfil do Investidor (API) é uma prática comum aos bancos, corretoras e demais participantes do mercado que oferecem algum tipo de investimento ao investidor pessoa física.

A API é uma metodologia que, por meio de um formulário ou entrevista, busca identificar o  perfil do investidor e adequar os investimentos aos objetivos, situação financeira e conhecimento sobre os produtos de investimentos de cada um.

Contudo, quando o assunto é investimento em renda variável, especialmente por meio de robôs investidores, tanto esses estudos comumente ofertados quanto as próprias APIs aplicadas no mercado tendem a não ser suficientes para auxiliar o trader na alocação de seus investimentos.

Isso porque a Bolsa de Valores apresenta ao investidor uma variedade de opções de investimentos bem mais ampla do que apenas as ações, normalmente lembradas nesses estudos.

Sobretudo, quando o investidor conta com boas opções de estratégias de investimentos automatizadas como as que, aos poucos, vem sendo disponibilizadas no mercado brasileiro.

A iniciar no mundo dos investimentos automatizados, por meio de robôs investidores, é imprescindível que o trader faça uma autoanálise sobre o seu conhecimento e experiência no mercado de renda variável.

Além de avaliar o seu perfil de risco, já que existem estratégias de investimento automatizadas – conjunto de regras seguidas pelos robôs investidores nas tomadas de decisão de investimento – para todos os gostos e perfis.

Existem estratégias de investimento indicadas, inclusive, para os mais conservadores. Um bom exemplo de ambiente onde o investidor pode encontrar boas opções de estratégias de investimentos automatizadas para diferentes perfis é na nossa Loja de Estratégias.

Antes de seguir, é fundamental chamar a atenção ao fato de que um robô investidor nada mais é que um software que segue um algoritmo predefinido que indica como ele deve operar, ou seja, é apenas um programa de computador que segue fielmente uma estratégia de investimento previamente definida.

O robô investidor é apenas a “ferramenta” que irá operacionalizar a estratégia de investimento escolhida e, portanto, será tão vencedor ou perdedor quanto for a estratégia.

Com isso em mente, podemos entrar diretamente na primeira grande classificação de robôs investidores: a sua abertura. É esse aspecto que define as responsabilidade do trader quanto ao comportamento do robô e, portanto, está diretamente ligado ao seu conhecimento e experiência em investimentos na Bolsa de Valores, conforme veremos a seguir.

 

 

O robô investidor adequado para o seu nível de conhecimento do mercado

Em relação ao nível de conhecimento e experiência no mercado, a principal variação de robôs investidores é quanto ao seu nível de abertura. Isto é, o quanto o controle sobre suas operações é deixado nas mãos do trader.

Quanto a esse critério, os robôs investidores são popularmente classificados em três níveis: caixa branca, caixa cinza e caixa preta (ou em inglês, black box, grey box e white box).

Os robôs caixa branca ou white box são aqueles em que todo o controle sobre a estratégia utilizada fica a cargo do próprio trader. Desde o valor investido e a gestão de risco, até os dados do mercado considerados pelo robô, além dos indicadores e sua parametrização.

Como todas as decisões estão nas mão do investidor, naturalmente, é cobrado um bom conhecimento acerca do mercado financeiro. Entretanto, é um tipo de robô muito interessante para qualquer tipo de estudo ou aprendizado sobre estratégias de investimento.

Especialmente em plataformas que apresentam um ambiente de simulação, sem riscos de perda de capital. Para entender o funcionamento de qualquer gráfico,  indicador, parâmetro ou até mesmo para ajustar melhor os controles de risco esses robôs são a melhor opção.

Nesse sentido, somos a maior referência no Brasil, a plataforma disponibiliza um bom ambiente simulador, inclusive, para optantes de seu plano gratuito por tempo indeterminado.

Já os robôs caixa preta ou black box são aqueles sem nenhuma abertura do controle de funcionamento para o investidor. Em geral é dada alguma descrição superficial sobre a estratégia que o robô implementa, sua lógica operacional, um histórico com seus resultados passados e a indicação de um valor de investimento a ser aplicado.

Justamente por não permitir nenhum controle ou parametrização, esse é o tipo de robô que exige a menor qualificação por parte do trader, uma vez que a sua tomada de decisão se resume a aplicar seus investimentos naquele robô ou não.

Exatamente por isso, algumas vezes essa opção é comparada à decisão de investir ou não em um fundo de investimentos qualquer. Mas é claro que esta decisão é simples apenas no que tange a operação, uma vez que toda a análise de objetivos e expectativas quanto àquele investimento seguem nas mãos do investidor, além de ser necessário conhecer o mínimo sobre a seriedade e responsabilidade do autor da estratégia, uma vez que ela está totalmente fora do seu controle.

Neste sentido é interessante verificar sempre o histórico, bagagem de mercado e certificações apresentadas por qualquer pessoa que assina uma estratégia de investimento.

Por fim, um robô caixa cinza ou grey box, como o próprio nome sugere, é uma opção intermediária entre as duas anteriores.

Se por um lado opções, como o valor investido, o próprio controle de riscos e, em alguns casos, até alguns parâmetros que influenciam diretamente a tomada de decisões do robô, estão abertas para o ajuste do trader, por outro lado, sempre existem partes da estratégia que não são apresentadas integralmente ao operador.

Seguindo a mesma linha de raciocínio, são robôs adequados a traders que já apresentam algum conhecimento sobre o mercado de renda variável, mas não o suficiente para assumir todo o controle de sua estratégia.

Ao ingressar no mundo dos investimentos automatizados, antes de mais nada, é necessário avaliar o seu conhecimento sobre o mercado financeiro, a fim de entender qual a abertura do robô adequado para o seu momento. E, em busca de um maior aprendizado e aprimoramento de suas técnicas de investimento, a utilização de robôs caixa branca em ambiente simulado é sempre uma ótima escolha.

Após entender a abertura adequada para o seu nível de conhecimento, é chegada a hora do trader avaliar a adequação da estratégia de investimento de um robô ao seu perfil de risco.

Para isso, é importante avaliar o segmento e ativos operados pelo robô, o volume de operações esperado e, principalmente, os indicadores de risco como exposição de capital e drawdown máximos atingidos nos resultados históricos da estratégia em questão.

Se você se interessou pelo tema e quer saber mais sobre a adequação do robô investidor à cada perfil de risco, é só ficar de olho no SmarttBlog que em breve você poderá ler mais um conteúdo exclusivo sobre este assunto. Espero que tenha gostado do artigo. Até a próxima!

 

Gomide

Co-founder & CEO da SmarttBot. Formado em Ciência da Computação pela UFMG. Mestre em Machine Learning pela PUC-Rio. Apaixonado por Empreendedorismo e pelo Atlético-MG.