O que é volatilidade e como ela influencia no day trading

Sincronize seus trades com um profissional - Saiba mais

Pontos-chave:

  • A volatilidade trata-se das variações de preço de um ativo em determinado período de tempo.
  • A intensidade com que essas oscilações nos valores acontecem indica o nível em que a volatilidade se encontra.
  • Papéis com alto nível de volatilidade aumentam seu potencial de lucro em relação aos demais, mas também aumentam os seus riscos.
  • Utilizar de ordem de stop loss móvel (trailing stop), por exemplo, é uma forma de limitar a perda, sem comprometer o ganho.

Com o novo cenário econômico em que há queda nos juros das aplicações de renda fixa, muitos investidores tiveram que se expor mais ao risco e o termo volatilidade ficou ainda mais frequente no noticiário econômico. Contudo, a ausência de familiaridade no assunto e a sua ligação direta com o risco faz com que alguns investidores ainda tenham um certo receio para encará-la. Por este motivo, elaboramos esse material com informações que auxiliarão no processo de investimento e, consequentemente, nos resultados a serem obtidos no day trade.

O que é volatilidade?

Nas notícias de um telejornal, provavelmente você já ouviu o âncora falando sobre o preço em que as ações fecharam no final do dia. Estes valores mudam ao longo dos intervalos em que as bolsas estão abertas ou entre um dia e outro. A volatilidade trata-se destas variações de preço de um ativo em determinado período de tempo. 

No mercado de capitais existe um desvio padrão dos retornos diários de preços, ou seja, a oscilação é vista como algo inerente ao investimento em renda variável. A intensidade com que essas oscilações nos valores acontecem indica o nível em que se encontra, sendo assim, quanto mais rápido os preços alteram, maior a volatilidade. Da mesma forma que quando reduzida essa intensidade, menor será a volatilidade.

Ativos com performances oscilantes no mercado devido a alta volatilidade tendem a ser mais arriscados. O trader pode ter altos retornos ou ter que encarar prejuízos consideráveis quando opta por ativos extremamente voláteis. É preciso que o profissional esteja atento, com objetivos claros para que a operação com ativos voláteis tenham seus riscos mitigados. Uma atuação mais precisa deve aliar-se as soluções automatizadas que garantam tomadas de decisão rápida baseada em números confiáveis.

Qual a relação entre risco e volatilidade?

Risco consiste na possibilidade de o investidor não alcançar os resultados esperados em seus investimentos, sendo que existem os riscos sistemáticos que são aqueles que impactam o mercado como um todo e são imprevisíveis (como a atual crise ocasionada pelo Covid-19) e também há riscos não sistemáticos (também chamados diversificáveis), que estão relacionados a uma determinada particularidade, podendo ser ela de crédito, liquidez ou de mercado. 

Risco e volatilidade são inerentes ao day trade e por este motivo preza-se tanto pela diversificação das carteiras de investimentos, defendida pela teoria de Markowitz, como forma de melhorar a relação risco/retorno, uma vez que ao utilizar de ativos descorrelacionados é possível reduzir o risco diversificável. Ter uma estratégia definida, com objetivos claros, é condição para que o trader opere com racionalidade e não deixe a emoção afetar os resultados. 

Como é estimada a volatilidade dos ativos?

Volatilidade histórica

Tipo mais simples de se estimar a volatilidade, ela é estimada na análise do comportamento passado dos preços do ativo, medindo sua variação durante determinado período passado. Exatamente por tratar-se de um diagnóstico retroativo, não significa que será necessariamente refletida no futuro, mas pode ser sim uma tentativa válida para estimar os próximos movimentos de formação de tendências.

Volatilidade histórica de n períodos = Raiz de 252 x desvio-padrão dos retornos de n períodos.

Volatilidade implícita

Refere-se ao cálculo feito por meio da igualdade entre o preço teórico e o preço real da opção de um ativo, sendo, portanto, uma forma de estimar o valor de um ativo no futuro. Por buscar refletir o momento presente, a volatilidade implícita é naturalmente mais sensível aos comportamentos do mercado guiados pelos fatos políticos e econômicos. 

Um dos indicadores técnicos que pode ser utilizado para estimar a volatilidade implícita são as Bandas de Bollinger, que por meio de duas médias móveis procuram identificar se o preço da ação ou contrato está perto ou longe de seu desvio-padrão e, assim, indicar uma possível reversão de tendência do mercado.

A volatilidade no day trade

Dentre os tipos de operações possíveis de realizar na bolsa, o day trade é o mais atrativo quando o assunto é volatilidade. Isso porque esse tipo de operação necessita de duas importantes variáveis para garantir seu dinamismo: o volume e a volatilidade. 

Papéis com alto nível de volatilidade aumentam seu potencial em relação aos demais, uma vez que quanto maior for a amplitude das oscilações maior será o potencial de lucro para quem opera com agilidade e tem o volume como aliado. Em geral, ativos com maior liquidez e grande volatilidade histórica são os mais utilizados no day trade.

Quando comparadas às opções e contratos futuros, as ações possuem menor potencial de volatilidade. Neste caso, uma forma para potencializar o retorno no day trade com ações é operar alavancado. Embora isso aumente também a exposição ao risco, será uma alternativa para compensar o menor potencial de volatilidade de uma ação.

É possível se proteger?

Flávio Lemos, em seu livro “Análise técnica dos mercados financeiros” é categórico ao afirmar que “operar requer 30% de técnica e 70% de controle da mente.” Por este motivo, ter processos operacionais bem definidos é fundamental. O impacto negativo que a perda financeira gera nos investidores é duas vezes maior que o impacto positivo deixado nas operações vencedoras, o que mostra que ter um rígido controle de risco faz total diferença.

Utilizar um stop loss móvel (trailing stop) é uma forma de limitar a perda, sem comprometer os ganhos. Trata-se de uma ordem programada para um determinado nível abaixo do preço e à medida em que este oscila, os valores de execução são ajustados automaticamente. É possível configurar um robô para que esta operação seja mais segura, rápida e confiável.

Na prática, segue o exemplo: ao inserir uma ordem de stop móvel para uma ação de PETR4 cotada no momento a R$ 18,00,  o investidor informa o “preço de disparo” (R$ 17,90) que será o envio da ordem e o “preço de limite” (R$ 17,10), que define o preço de execução enviado para a bolsa. No campo “início”, o investidor informará o preço (R$18,50), em que o Home Broker passará a acompanhar a cotação do ativo. Já o “ajuste” (R$ 0,50) será o valor a ser somado aos preços de disparo e limite.

Dica Smartt

É fato que quanto mais a volatilidade, maior o risco de um ativo, o que não significa que isso seja ruim. Na realidade, se usada corretamente, a volatilidade pode ser um excelente instrumento para potencializar resultados. Quanto ao risco, é inevitável, por isso limitá-lo é uma sábia escolha. Já dizia o investidor americano Howard Marks: “Quando qualquer pessoa oferece a você uma chance de ganhar muito dinheiro sem correr riscos, não ouça o resto da frase. Siga isto e você economizará seus ouvidos e muito dinheiro.” 

Os avanços na tecnologia possibilitam que muitas operações do trade sejam automatizadas. Permitir que a execução fique a cargo de robôs, além de retirar o viés emocional, torna o processo muito mais disciplinado, o que reflete diretamente no sucesso do trade. SmarttBot: nossa tecnologia às suas ordens!

imagem: automatize seus trades com nossa plataforma - mascote botinho smarttbot e imagens de candles em um balão de fala